Loja na rua x loja no shopping: qual a melhor opção?

Existem alguns fatores que você precisa levar em consideração no momento de decidir se irá instalar a sua loja em um ponto na rua ou dentro de um centro comercial, como um shopping center. Ambas as opções têm os seus prós e contras. O que você empreendedor precisa é conhecer bem o perfil do seu negócio e do seu público para tomar uma boa decisão. 


Se você é representante de uma franquia ou uma loja satélite, como são conhecidas as lojas de menor porte, talvez manter um ponto de venda dentro de um shopping não seja uma boa ideia. Especialmente no cenário de alta informalidade e desemprego em que vivemos no Brasil atualmente. 


Geralmente, o lojista acaba destinando de 12% a 20% para cobrir o custo com aluguel, condomínio e um fundo comum de promoção, que recebe contribuições de todas as lojas do shopping. Para alguns empreendedores, esses percentuais podem ser asfixiantes e impedem o negócio de crescer. 


No caso de grandes operações, como as lojas-âncora, o percentual destinado para esses custos caem para a faixa de 3% a 5%. As lojas-âncora acabam gastando mais com publicidade, estoque e com pessoal do que, de fato, com a ocupação do espaço.


Para você empreendedor ter uma ideia, o valor mínimo cobrado pelo aluguel em um shopping varia de R$ 130 a R$ 250 o metro quadrado. Mas sim, é verdade que optar por instalar o seu negócio em um shopping tem alguns pontos positivos:


  • Maior circulação de pessoas;
  • Boa localização;
  • Serviços adicionais garantidos para os seus clientes, como estacionamento e praça de alimentação, além de terminais bancários e lotéricas;
  • Segurança. 

Se você está pensando em adquirir permanentemente uma loja no shopping, o valor pode variar de R$ 100 mil a R$ 1 milhão, com contratos que duram geralmente cinco anos. O problema é que, se o negócio passar por alguma dificuldade, você poderá comprometer os seus planos de crescimento e faturamento a longo prazo. 


Além disso, os interesses administrativos do shopping, como destinar algum ponto específico para operações que irão pagar mais, por exemplo, podem influenciar os rumos do seu negócio. 


Outros pontos que podem representar um desafio para o seu negócio dentro do shopping center são:


  • Aumento de demanda de pessoal em datas comemorativas;
  • Maior concorrência com operações que atuam no mesmo nicho que você;
  • Horário fixo. 

Uma loja no shopping só será um bom negócio para quem tiver um empreendimento maduro ou para quem tem certeza da sua capacidade de expansão. O que acaba acontecendo é que muitos empreendedores acabam mantendo uma operação no shopping somente pelo status, já que essa opção pode se mostrar muito cara na prática. 


No caso das franquias, lojas de rua têm maior faturamento


Agora, para pequenos empreendedores, com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões, uma loja na rua pode ser a melhor alternativa. Geralmente, o custo de operação de uma loja na rua não ultrapassa o percentual de 10% do faturamento. Outras opções que podem fazer sentido para pequenos empreendedores são quiosques e lojas com uma estrutura mais enxuta. 


Um fator que pode reduzir ainda mais o custo que você terá com a operação é optar por uma rua transversal, ao invés dos grandes centros comerciais, em que o m² do aluguel é mais elevado. 



O custo de operação de uma loja na rua não ultrapassa o percentual de 10% do faturamento

Ainda, dados da Associação Brasileira de Franchising mostram que, no caso das franquias, 53% dos empreendedores afirmam que a loja de rua fatura mais, seguidos de 29% dos proprietários de lojas de shopping. Trata-se de um número relevante, não é mesmo?


Não importa qual seja a sua decisão, saiba que é preciso estar sempre atento e pensar em formas variadas de se relacionar com o público para não perder a sua clientela. E se você precisar de auxílio para escolher um ponto comercial para o seu negócio, fale com a equipe de consultores da Brandalise Imóveis. Teremos prazer em atendê-lo! Até a próxima.